Gemilut Chassadim (Parte 2)

Mussar e Midot Tovot

Meditação sobre os atributos do caráter já estudados:

Como tem sido a sua prática da gratidão, zerizut (zelo, entusiasmo, agilidade),  alegria e força?

Midá da semana:

Hebraico: גְּמִילוּת חֲסָדִים  (Guemilut Chasadim) = Literalmente: “pagar com benevolência”, “recompensar com graças”. Também é compreendido como “dar benevolência” ou “conceder bondades”.

Reflexão: 

O Talmud ensina que gemilut chasadim é mais importante do que tsedaká, sendo esta definida como um ato de justiça, o cumprimento de uma mitsvá, e não um ato de caridade.

Por que guemilut chassadim é mais importante do que tsedaká? 

Os Rabinos fornecem três razões:

1) A tsedaká pode ser feita apenas aos pobres, enquanto gemilut chassadim pode ser feita aos pobres e aos ricos;

2) A tsedaká somente pode ser dada aos vivos, enquanto gemilut chassadim pode ser concedida aos vivos ou aos mortos (comparecendo a um serviço fúnebre);

3) A tsedaká geralmente é feita com dinheiro, enquanto gemilut chassadim pode ser feito com dinheiro ou em assistência.

Avot 1:2:

Shimon, o Justo, foi um dos últimos [membros] da Grande Assembleia. Ele costumava dizer: O mundo apoia-se sobre três coisas – o estudo da Torá, o serviço a D’us, e os atos de bondade (guemilut chassadim).

O Judaísmo bíblico equilibrado se sustenta por estes três pilares:

1) estudo da Torá = estudo das Escrituras;

2) o serviço a D’us = oração;

3) atos de bondade (gemilut chassadim).

Há sistemas religiosos e pessoas que darão o enfoque em apenas um ou dois dos pilares acima, ou os seguirão de forma desproporcional. Somente a prática equilibrada dos três pilares levará o homem à sua plenitude no relacionamento com HaShem e com o próximo.

Frase da semana: Eu sou ovelha e recompenso o próximo com graça

Prática: Procure oportunidades para expandir as suas atividades de ajuda ao próximo em todas as formas possíveis.

Anotações (diário): Anote suas observações pessoais acerca da prática deste ensinamento.

 

Don`t copy text!